3D Fabricação AditivaNotícias

A próxima geração de prototipagem 3D no setor automóvel

By 26 de Maio, 2021No Comments
3D no setor automóvel

Independentemente da indústria, colocar um produto no mercado antes dos concorrentes proporciona uma grande vantagem. Contudo, sacrificar a qualidade e a precisão em nome da rapidez não é simplesmente uma opção, especialmente para indústrias onde a segurança do consumidor está em jogo, tais como a indústria automóvel. Embora a necessidade de iterar rapidamente os produtos tenha permanecido, só quando certas tecnologias atingiram um ponto de amadurecimento é que a verdadeira prototipagem rápida na indústria automóvel pôde ser alcançada.

A fabricação aditiva, também conhecida como impressão em 3D, existe desde os anos 80. Agora, após décadas de evolução, esta tecnologia crucial atingiu um ponto de inflexão, tornando-se extremamente relevante em vários campos da engenharia. Mais especificamente, ao permitir aos fabricantes produzir protótipos de menor custo e maior qualidade, a tecnologia de impressão em 3D introduziu a próxima geração de prototipagem automóvel rápida, alterando drasticamente todo o processo de conceção e produção na indústria automóvel.

Mudança para automação

Historicamente, as soluções disponíveis para esta indústria têm vindo de métodos tradicionais. Os protótipos para a indústria automóvel eram muitas vezes cuidadosamente elaborados à mão a partir de materiais como madeira, barro, espuma e metal. As empresas eram obrigadas a esperar por certos componentes críticos do seu protótipo, o que tinha um impacto significativo na sua capacidade de testar o produto e entrar em produção. 

A mudança para a automatização abriu novas oportunidades, no entanto, ficaram aquém do seu potencial. O tempo gasto e o dinheiro desperdiçado ao longo do processo contribuem para atrasos astronómicos e restrições orçamentais, impedindo assim os fabricantes de explorar uma gama mais vasta de opções de conceção. 

Para criar designs verdadeiramente inovadores, é preciso experimentar. No entanto, sem uma rápida prototipagem automóvel para provar (ou refutar) rapidamente os conceitos de design de produtos, fica limitado pelo tempo e pelo orçamento. Os designers simplesmente não podem desperdiçar os seus recursos em ideias fora da caixa por medo de ficarem muito atrás de uma linha temporal rígida de colocação no mercado.

A prototipagem rápida de automóveis permite aos designers e engenheiros de automóveis poupar tempo e recursos da primeira etapa do seu processo. Se não estiver familiarizado com o processo, é bastante simples de explicar. Recorrendo um pouco à antiga prática de desenhos em papel, os modelos digitais são utilizados utilizando software CAD avançado que são enviados diretamente para uma impressora 3D. A impressora pega nestes planos digitais e começa a dispensar camadas finas de material. Camada 2D após camada 2D, a impressora aplica gel de acordo com o plano geométrico, e estas camadas somam-se verticalmente, resultando eventualmente numa única peça sólida 3D (razão pela qual o termo académico para impressão 3D é fabrico de aditivos: porque está a adicionar camadas sobre camadas) Os materiais utilizados nestas impressoras 3D permitem aos engenheiros conceber componentes de rigidez, densidade, peso e resistência ao calor variáveis.

Impressão 3DDesafios da indústria automóvel

Existem diferentes tipos de impressoras para se adaptarem às diferentes necessidades, cada uma com abordagens tecnológicas díspares sobre como fornecer os melhores resultados. Contudo, independentemente do tipo de impressora, a tecnologia como um todo sempre foi limitada por dois fatores principais: tamanho e velocidade. A maioria das impressoras 3D só é capaz de produzir peças mais pequenas, uma vez que as peças de tamanho completo são simplesmente demasiado grandes – e mesmo que fossem capazes de se adaptar ao tamanho, a taxa lenta de impressão de peças tão grandes tornaria qualquer projeto demasiado caro.

Esta questão é problemática, tanto em termos do tempo adicional necessário como da integridade estrutural exigida em protótipos para indústrias como a automóvel. Estas limitações causaram atrasos graves e custos acrescidos na fase de desenvolvimento, negando aos fabricantes de automóveis a flexibilidade para desenvolver e testar rapidamente novos protótipos de uma forma rentável.

Mas impressoras como a Massivit 1800 Pro alteraram as regras do jogo, permitindo a criação de produtos maiores e mais completos do que nunca, em apenas uma fração do tempo. Este desenvolvimento preparou o terreno para o tipo de prototipagem automóvel rápida para a qual a indústria há muito que se esforça.

Massivit 1800 ProPróximos passos

A tecnologia de prototipagem rápida da Massivit é capaz de produzir peças completas até 1,8 metros de comprimento, o que representa um aumento significativo em relação às normas do mercado. Isto permite aos fabricantes de automóveis produzir componentes em tamanho real, tais como para-choques e painéis de carroçaria para as suas maquetes, algo que anteriormente só podia ser feito com modelos em miniatura, ou através de um processo de fabrico muito manual com custos de mão-de-obra e requisitos de tempo muito mais elevados. Além disso, Massivit aumentou drasticamente a velocidade de impressão de modo que estes componentes maiores possam agora ser entregues numa questão de meras horas.

Quer se trate de um kit personalizado funcional ou de protótipos a serem testados antes de entrar na linha de produção, as aplicações da impressão 3D de grande volume com uma impressora 3D Massivit são infinitas.

Quer ficar a saber mais sobre as potencialidades da Massivit? Entre hoje mesmo em contacto com a Emetrês.